Uma espécie de lei de silêncio foi assinada entre o interventor federal na segurança pública do Rio, general Walter Braga Netto, com o presidente Michel Temer sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ). O acordo foi realizado após a interpretação de que a verborragia do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, prejudicou as investigações. De acordo com informações do jornal O Globo, as falas de Jungmann sobre o caso Marielle, principalmente aquelas sobre o afunilamento das investigações, que evidenciariam o envolvimento de integrantes de milícias no assassinato, incomodaram tanto o interventor federal quanto o secretário de Segurança Pública. Jungmann teria assumido uma função de porta-voz sobre assuntos relacionados à atuação dos militares. Depois do acordo de silêncio, o ministro tem evitado falar sobre as investigações do assassinato de Marielle.

Fonte : BahiaNoticias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here