Fred Lopes não é mais o vice-presidente de futebol do Vasco. O dirigente foi exonerado do cargo nesta sexta-feira pelo presidente Alexandre Campello, por telefone. Lopes estava insatisfeito com algumas atitudes do presidente no dia a dia do clube, como em negociações e decisões tomadas por Campello.

O Vasco também teve outra mudança na diretoria. A operação do jogo deste sábado não estará mais ao cargo do vice de patrimônio, Luiz Gustavo.

Em entrevista coletiva na noite desta sexta-feira, quando deixou a delegacia onde prestava queixa sobre as invasões pela manhã em São Januário, Campello falou sobre o assunto. O presidente do Cruz-Maltino se mostrou surpreso com a notícia de que o desligamento de Lopes foi decisão sua, e afirmou que o vice de futebol tinha voz ativa na administração.

– Assuntos que habitualmente ele trata diretamente com o Pelaipe, ele tinha pedido para o Pelaipe tratar comigo. Liguei para ele, é meu amigo de muitos anos e foi quem me trouxe para a política do clube e ele se mostou insatisfeito. Usou de um argumento dizendo que estava fora. Ele disse que ia sair e eu ainda insisti, mas ele manteve a posição dele e estou surpreso com essa informação – declarou Campello, e acrescentou:

– O regime é presidencialista. Nenhuma atitude que eu fiz, nada do que foi feito no clube foi sem conversa. As ideias que eu tive, sugeri para ele e sempre acatei a posição dele. Então, me estranha muito a posição dele.

O período Fred Lopes

O dirigente estava no cargo desde janeiro deste ano e assumiu quando Campello venceu a eleição para a presidência do clube. Logo no primeiro dia de trabalho, Lopes teve que garantir que o Vasco viajaria para o Chile, onde enfrentou o Universidad Concepción, o que tinha sido colocado em risco pelo ex-presidente Eurico Miranda.

Pouco após a saída de Nenê, também em janeiro, Fred Lopes conversou com a imprensa. Na ocasião ele disse que o Vasco iria atrás de um meia para repor a saída do camisa 10 do clube. De fato, desde que ele chegou, o Cruz-Maltino contratou Giovanni Augusto.

Outro momento conturbado do breve período em que esteve na vice-presidência de futebol foi a dúvida se Zé Ricardo sairia ou não do clube. Foi Fred Lopes quem disse, por exemplo, que se dependesse do dinheiro, o Vasco não conseguiria segurar o treinador.

– Ficamos muito felizes com a permanência. Mostramos ao Zé, que é unanimidade no clube, sua importância. Se fosse pelo dinheiro, não ganharíamos. Não podíamos competir no dinheiro e apresentamos um novo projeto de longo prazo – contou o dirigente antes da partida entre Portuguesa e Vasco, pela Taça Rio, em 25 de fevereiro.

Fonte : GloboEsporte

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here