Morreu na tarde de quarta-feira (30) o jornalista Audálio Dantas, aos 88 anos. Segundo a Veja, o escritor estava internado no Hospital Premier, em São Paulo, e sofria de um câncer no intestino, fígado e pulmões. Ele deixa a esposa, Vanira Kunc, e quatro filhos.

Audálio Dantas nasceu em Tanque D’Árca, em Alagoas, e foi presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo na época da ditadura militar, quando o jornalista Vladimir Herzog foi morto pela repressão. Na ocasião, Dantas foi uma das vozes mais contundentes contra a versão oficial de suicídio alardeada pelo regime militar. O jornalista foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) por sua luta a favor dos direitos humanos.

Ainda segundo a Veja, ao longo da carreira, Audálio trabalhou nas revistas O Cruzeiro, Quatro Rodas, Realidade e no jornal Folha da Manhã. Também foi correspondente de VEJA no conflito entre Honduras e El Salvador em 1969 que ficou conhecido como Guerra do Futebol. Dantas foi o primeiro presidente eleito por voto direto da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e deputado federal pelo PMDB (hoje MDB) de São Paulo na década de 70.

Como escritor, lançou diversos livros, entre eles As duas Guerras de Vlado Herzog (livro vencedor do Prêmio Jabuti) e Graciliano Ramos.

Segundo a família, o corpo de Audálio Dantas será cremado. Não foram divulgados detalhes do velório.

Fonte : BocaoNews

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here