Paralelamente às acusações de abuso sexual que pesam contra o ex-técnico da seleção brasileira de ginástica Fernando de Carvalho Lopes, o Ministério Público de São Paulo investiga denúncias de desvio de verbas públicas do Bolsa Atleta, pagas pela Prefeitura de São Bernardo do Campo e destinadas aos atletas treinados por ele.

Pelo menos dez atletas acusam Lopes de fazê-los assinar recibos de até R$ 3.500, mas apenas uma pequena parte do valor era repassado, na época em que treinavam no Mesc (Movimento de Expansão Social Católica), clube de São Bernardo.

Em um dos depoimentos ao MP, uma das vítimas de abuso sexual relata que “quando treinava, Fernando apresentava recibos de até R$ 3.500, mas apenas recebia parte dessa quantia. Que esse valor se referia à verba para a ginástica, que vinha da Prefeitura, mas que deveria ser distribuída para outros gastos como manutenção, aparelhos e outros. E que ele (Fernando) dizia que os treinadores não deviam receber o dinheiro diretamente da Prefeitura porque era destinado aos atletas”.

As vítimas alegam que assinaram recibos assim, apresentados por Fernando Lopes e pela então supervisora do clube, Ivonete Fagundes, durante pelo menos três anos. Na CPI dos Maus-tratos a crianças no Senado, Lopes afirmou que a responsabilidade por distribuir o dinheiro e entregar os recibos era de Ivonete.

Procurada pela reportagem do GloboEsporte.com, Ivonete rebateu as acusações. Ela será convocada pela CPI para prestar esclarecimentos.

– Eu fiquei surpresa com a convocação, mas já estou separando toda a documentação para ir até Brasília falar sobre como era feita a distribuição dessa verba – disse Ivonete.Pelo menos um dos atletas e ex-atletas que acusam o desvio de verba disse em depoimento que depois de alguns anos, já mais velho, “questionou e Fernando ficou bravo”. “Disse que quem cuidava do dinheiro era ele e a responsabilidade do atleta era só treinar”.

Fonte : GloboEsporte

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here