Se apresentou à Polícia Civil de Teixeira de Freitas nesta sexta-feira, dia 30 de março, feriado da Semana Santa, Luciano de Figueiredo, o “Zulu”, acusado de assassinar a tiros Rayan Gil Cardozo, gerente de um posto de combustível conhecido na cidade, crime ocorrido na noite de quarta-feira, dia 28 de março, na Rua Mônaco, Bairro Ulisses Guimarães, região oeste teixeirense. Acompanhado de um advogado o acusado foi ouvido pelo delegado Manoel Andreeta, de plantão na sede da 8ª Coorpin, quando assumiu o crime e contou que matou Rayan em legítima defesa.

O revólver calibre 38 usado no crime foi entregue pelo advogado do acusado à polícia e quando questionado sobre a origem da arma, “Zulu” disse que a mesma seria do seu irmão, que morreu há sete anos e por isso ficou em seu poder. Sobre a motivação do crime, “Zulu” relatou que a desavença com Rayan teve início após um elogio que ele fez numa postagem da ex-esposa da vítima nas redes sociais. “A partir da mensagem em que elogiei a beleza dela [ex-esposa], ele [Rayan] passou a mim ameaçar e desafiar. No dia em que tudo aconteceu [assassinato], ele [Rayan] veio até a esquina da minha casa para mim ameaçar e como estava com uma das mãos por baixo da camisa, tive que atirar”, contou.

Nenhuma arma foi encontrada com Rayan, que após ser atingido pelos disparos na região da cabeça, caiu e veio a óbito no local. Nos últimos dias a redação do Teixeira News recebeu uma série de informações dando conta que Luciano de Figueiredo, o “Zulu”, apesar de possuir um projeto social muito importante da cidade, acolhendo e orientando crianças através do esporte, sempre foi visto como uma pessoa de temperamento forte e tinha fama de não levar desaforo pra casa.

Após ser ouvido e por ter se apresentado espontaneamente, “Zulu” foi liberado pra responder o crime em liberdade. Quando for julgado ele deve responder por homicídio qualificado, praticado por motivo fútil. (Da redação TN)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here