O extremo sul da Bahia está pela segunda vez seguida na decisão do Campeonato Intermunicipal, desta vez com a seleção de Eunápolis, que arrancou a classificação suada na cidade de Santo Amaro, neste domingo (19), apesar da eufórica da torcida adversária, que lotou o estádio. Embora com menos um jogador no segundo tempo, o time eunapolitano resistiu à pressão imposta por “Maro Maro”, segurando o placar de 0x0.

Logo aos cinco minutos do primeiro tempo, Santo Amaro teve um pênalti a seu favor, mas a bola esbarrou nas mãos do heptacampeão Márcio Greyk, responsável central pela classificação de Eunápolis, que vencera o jogo de ida das semifinais por 1×0.  O pênalti foi causado pelo zagueiro Tiago Leal no atacante santamarense Mamá, o seu colega Netinho falhou na cobrança.

Em baixa

Aos 15 minutos da etapa final, uma nova falta causada por Tiago provocou a sua expulsão, deixando a seleção visitante desfalcada em campo. O zagueiro foi punido com o segundo cartão amarelo por segurar o goleador Kaká na entrada da área. Com a vantagem de uma peça a mais no tabuleiro, os donos da casa aumentaram a pressão, mas os visitantes souberam se defender.

O experiente Márcio Greyck, em mais uma esplêndida atuação, evitou por várias vezes a marcação de gols por Santo Amaro. Além do pênalti no início da partida, o arqueiro fez uma bela defesa aos 48 minutos da etapa final, após a bola balançar a trave numa cobrança de falta. No contra-ataque, a equipe eunapolitana quase balançou a rede dos donos de casa.

Emoção e confusão

Em meio ao delírio dos jogadores da seleção representante do extremo sul baiano e ao desespero da torcida santamarense, a partida foi encerrada aos 51 minutos do segundo tempo, e o clima começou a ficar quente. A torcida invadiu o campo e deu início a uma pancadaria, que foi contida após intervenção da Polícia Militar.

O treinador da seleção de Eunápolis, Beto Oliveiro, foi atingido no rosto por um objeto então desconhecido, vindo a cair ao chão. Oliveira, tricampeoão do Intermunicipal, lamentou o episódio, mas comemorou a classificação de seu time, que chega pela primeira vez à final do campeonato, e agradeceu o apoio dos torcedores eunapolitanos.

O troco

Eliminada duas vezes por Santo Amaro, o time de Eunápolis deu início à revanche, desbancando o rival em seus domínios e  “empurrado” por sua apaixonada torcida. Estima-se que mais de 3.200 pessoas lotaram o estádio Jonathas Enéas do Carmo, sendo que a maioria torcia pela seleção de Santo Amaro.

A disputa do troféu de campeão do Intermunicipal será com a seleção de Euclides da Cunha, que derrotou a equipe de Itabela por 2×1 em pleno estádio Manzolão. Os gols da segunda vitória do time sobre Itabela foram marcados por Mamá, de falta aos 18 minutos do segundo tempo, e Rafael, aos 38. Itinha, aos 30 minutos também da etapa final, descontou para os itabelenses.

Terceira tentativa

Em sua terceira participação na final do certame, Euclides da Cunha entra na disputa do título em 2017 com a vantagem de fazer o jogo de volta em casa. A decisão começa no próximo domingo (26), em Eunápolis, cujo representante soma menos pontos que o adversário na classificação acumulada – 29 contra 32.

O time da região Norte foi vice-campeão em 2002, quando foi derrotado por Itamaraju. Novamente na final, a equipe não deu sorte também em 2005 contra São Félix, que conquistou o título de campeão.

Enquanto isso, a seleção de Eunápolis busca o primeiro título principal do campeonato, a fim de juntar-se aos campeões Itamaraju e Porto Seguro. Além destes, Itabela chegou à decisão, em 2016, mas tropeçou em casa diante de Itaberaba. (Por Domingos Oliveira)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here